galeria TEMOS QUE DESTRUIR O SISTEMA POLÍTICO DO BRASIL

Enquanto a sociedade brasileira não perceber que alimenta um sistema corrupto, manipulador e imprestável, nada se modificará no Brasil. O Brasil vive dentro de um regime de esquerda, apesar da mídia corporativa negar e confundir a opinião publica de que NÃO somos controlados, dominados e manipulados por um escória de partidos e de políticos comunistas.Hoje o Brasil vive um processo de intervencionismo e de controle do capital pelo Estado.Este sistema é tão desumano e brutal quanto o intervencionismo do socialismo cubano. Para mascarar esse processo e torná-lo “aceito” pela sociedade, usa-se termos como “globalização”, “modernidade econômica e financeira”, “reformas estruturais”, “reajuste econômico”, e outros termos econômicos que formam uma linguagem incompreensível para a maioria da população.Tudo baboseira para mascarar a tirania econômica.

As instituições brasileiras foram e estão sendo totalmente privatizadas ou controladas por grupos financeiros que não se identificam com nenhuma nacionalidade, são grupos sem pátria (a não ser a pátria do máximo lucro) que utilizam-se de qualquer meio, a qualquer custo e o mais rapidamente possível. O Governo do PSDB privatizou dezenas de empresas estatais, grande parte delas, eram estratégicas para o Estado. A soberania e a segurança nacional foram, portanto, entregues para grupos estrangeiros que visam somente o lucro. Um crime de Lesa Pátria que atenta contra a segurança e o bem estar do país.

O atual sistema intervencionista do Estado na economia controla, sufoca e destrói as economias internas, impede o desenvolvimento do país, elimina empregos e reduz a atividade econômica à um mero jogo de especulações e exploração financeira. A economia intervencionista deste sistema naturalmente entra em colapso, gerando pobreza, miséria, tristeza, humilhação e falta de perspectivas em seus povos. A criminalidade, o materialismo e o “cada um por si”, tornam-se as únicas realidades compreensíveis para a sociedade penalizada. Este sistema intervencionista foi elaborado no governo de Fernando Henrique Cardoso e desde então, vem sendo usado como modelo econômico no Brasil.

Fernando Henrique Cardoso criou 50 impostos em seu governo para estatizar os meios de produção e adotou políticas estatizantes na economia. O mesmo método é usado em economias de países socialistas como Cuba, Coréia do Norte, China e Rússia. Então porque a mídia esconde que NÃO somos uma democracia? Para dizer a verdade nem o arremedo eleitoral serve para justificar esta “DEMOCRACIA”, uma vez que as urnas eletrônicas são passíveis de fraudes e manipulação. No Brasil as eleições são previamente decididas e o voto de legenda garante o rateio das cadeiras no parlamento. Nesta “pseudo” democracia, não existe a “opção”, uma vez que todos os partidos estão alinhados ideologicamente e politicamente. Vivemos, portanto, dentro de um regime socialista autoritário, soberano, corrupto e cruel, onde o Estado existe apenas para beneficiar o próprio Estado e não a população. Isto não é democracia!

Segundo o grande economista J.K.Galbraith “políticas de bem-estar social representam invenções modernas, evolução e avanços sociais”. A concepção neoliberal de política social diz que “o bem estar social deve ser restrito ao âmbito do privado, e representa um retrocesso histórico”. No Brasil, ao invés de evoluirmos para um conceito de política social para assegurar os direitos de cidadania, retrocedermos á uma concepção onde a população menos favorecida e a sociedade enganada têm que resolverem seus próprios problemas.

A aplicação dessa concepção é mascarada através de nomes supostamente “modernos” e “politicamente corretos”, como: “participação comunitária”, “autogestão”, “solidariedade comunitária”, “emponderamento” e outros. A solução dos problemas dos pobres se resume em campanhas de “mutirão”, ou em campanhas do tipo “fome zero”, onde a obrigação do Estado é transferida para os cidadãos que pagam impostos por benefícios que não são realizados pelo governo. O governo não investe o que arrecada em prol da sociedade. Apenas um pequeno e seleto grupo que órbita o Poder tem este privilégio. Isso lembra bem as ditaduras comunistas onde apenas um seleto grupo de líderes e simpatizantes do regime tinham dinheiro, liberdade, direitos e Poder.

Uma das piores epidemias no Brasil, além do estado corrupto e socialista, é a mediocridade de partidos e dos políticos. A omissão federal, estadual e municipal com o Estado brasileiro e com a sociedade é venal. Decisões e políticas que deveriam ser de bem comum para sociedade são expurgadas e não priorizadas. Existe um jogo de empurra, empurra que leva o Brasil para dentro de um poço sem fundo. Um desastre total, pois não há política para o povo e sim interesses de um seleto grupo que abrange políticos, empresários e partidos.

Desta forma, as instituições brasileiras não merecem nenhuma credibilidade, são irresponsáveis, corruptas e coniventes com o Estado. Planos, decisões e programas redigidos às pressas, visam somente à penalização da sociedade. Nada é em favor da população. O Estado se tornou o PODER de tudo. Controla tudo e a todos. A democracia e a liberdade se restringem apenas ao marketing da mídia bancada pelo governo. Portanto, serve apenas como desculpas para encobrir o verdadeiro Estado ditatorial que governa o Brasil. A única fonte de mídia que teve coragem de dizer que o Brasil não era uma democracia e sim um composto socialista cubano, foi a jornalista Lilian Wite Fibe.

A Função de um Estado é trabalhar em prol da sociedade e não em favor de si mesmo como vem acontecendo há 30 anos. O Estado tem como obrigação principal, direcionar o que arrecada em impostos no benefício da sociedade e não, na execução de medidas e na elaboração de políticas que visam somente manter e bancar as aposentadorias milionárias de políticos e autoridades, mordomias, luxos e benesses de políticos e partidos. Bilhões de reais que deveriam, ser investidos na saúde, na educação e na infra estrutura do Estado, são torrados todos os dias com cartões corporativos, viagens e hotéis de luxo, frota de veículos blindados, festas e orgias em Brasília, segurança pessoal de políticos, apartamentos funcionais, roupas e sapatos importados, mordomias, super salários e obras super-faturadas.

Um destes absurdos diz respeito às aposentadorias de políticos e autoridades públicas. Este seleto grupo de REIS não são taxados e recebem suas aposentadorias milionárias em valor integral. Quem depende da previdência estatal é taxado, esculhambado, humilhado e roubado todos os dias pelo governo. Desta forma, se conclui de que o Estado atual não funciona em prol da sociedade e sim, de poucos canalhas que orbitam as esferas do Poder. Enquanto 98% dos empresários são estatizados com tributação extorsiva, juros abusivos e penalizados por regras e multas estatais, (políticas de viés socialistas e autoritárias), partidos políticos e empreiteiras ligadas ao governo nadam em dinheiro, são beneficiadas com empréstimos bilionários à juros baixos, contratos bilionários com o Estado e outras benesses. Já os partidos não sofrem nenhuma tributação e muito menos são fiscalizados pela Receita Federal. Nadam em irregularidades, recebem e lavam dinheiro sujo de propinas e nenhuma punição é dada.

O descaso do Estado e do Poder público com o país e principalmente com a sociedade é imoral, criminoso e perverso. O Estado só funciona para arrecadar dinheiro ou para penalizar a sociedade. Do resto quem manda é a intolerância, a corrupção, a má gestão, a roubalheira, a falta de planejamento e gestão, a ausência de fiscalização, de coordenação e de acompanhamento do Estado com suas obrigações. Definitivamente o Estado brasileiro NÃO FUNCIONA e muito menos serve a sociedade como deveria. Um exemplo foi o incêndio da Boate Kiss no sul do país. A boate funcionava sem alvará, sem acompanhamento do Estado e sem a fiscalização das instituições competentes. O acidente no Rio de Janeiro que envolveu a queda de uma passarela na orla marítima que causou a morte de um cidadão é outro exemplo de que o Estado NÃO FUNCIONA, não fiscaliza, não acompanha e não coordena suas obras. Um descaso total que poderia ser chamado também de zona, bagunça e esculhambação.

Sempre que o governo encontra um desastre pela frente, chama-o de acidente ou fatalidade, transferindo sua culpa para terceiros. É como se o governo e os políticos não tivessem nenhuma culpa nas omissões e nas irresponsabilidades do Estado. Afinal para onde vão os trilhões de reais que o Estado arrecada com os impostos? Onde estão as estratégias do governo para evitar calamidades, tragédias e crises? Onde estão as Leis em prol do cidadão, de sua segurança, conforto e qualidade de vida? Simplesmente não EXISTEM! Vejam a diferença de um Estado que realmente funciona para este Estado corrupto e sujo.

O Japão nem chega perto da carga tributária à que estamos sujeitos.No entanto como todos sabem, houve um Tsunami que arruinou o país. O governo japonês não pediu nenhuma ajuda comunitária para outro país. Rapidamente o governo japonês tratou de cuidar da população que havia perdido tudo. Havia no governo um fundo de bilhões de dólares para crises como esta. Ou seja. Houve um planejamento, uma coordenação do Estado que criou um fundo com o dinheiro dos impostos para investir este fundo na solução de um possível problema. Anteviram um problema e já tinham uma solução para remedia-lo. É um povo patriota, honesto e todos honram seu país e seu povo. Isso se chama democracia, se chama respeito e responsabilidade, coisa que estes políticos medíocres e corruptos desconhecem.

Os movimentos de rua sempre foram financiados pelo PT, PSDB e agora também pelo PMDB. Todas as manifestações propositais esquivaram o povo dos reais propósitos e dos reais problemas do país. O próprio governo e os partidos municiam estas manifestações fornecendo o “problema” para que o povo apenas reaja, mantendo desta forma, o povo focado apenas na reação. O povo vai para as ruas com várias frentes de reação. Uns querem isso e outros aquilo, não há um objetivo definido, e isto é tudo o que o governo quer. Não há resistência, a sociedade não combate o governo como deveria. O povo não é pro-ativo e sim passivo e desta forma, obediente ao sistema. São como porquinhos assando no espeto.

O governo passou a municiar propositalmente estas manifestações divulgando na mídia notícias contrárias à vontade popular. Desta forma o povo reage e vai para as ruas manifestar. O governo já sabe como controlar estas manifestações, pois aprendeu a absorver as reações do povo. Os Movimentos de Rua orientados pelo governo acionam seus mecanismos de mobilização e o povo vai para as manifestações focado apenas na reação e não na solução do problema.

Reagir contra o Estado não é a solução certa. E nunca será. O governo precisa de uma ação da sociedade que seja difícil de combater. Por exemplo, uma intervenção popular para destituir os Três Poderes. Destituir os Três Poderes significa, exterminar com o sistema. Não há como o governo combater isso. Quais foram as decisões tomada pelo povo nas ruas que foi difícil para o governo combater? NENHUMA! Todas as decisões tomadas pelos Movimentos de Rua e pela sociedade não trouxeram nenhuma dificuldade para o governo combater. A única arma do povo contra o governo é derrubar o sistema. Desta forma o Estado e o governo não terão armas para combater a sociedade. Reação não adianta nada, tem que cortar o mal pela raiz com um golpe só.

O brasileiro precisa acordar e ter consciência de que este sistema político atual de governo não funciona. O regime não funciona, o modelo econômico não funciona, os 35 partidos não funcionam, o estado não FUNCIONA. Para piorar, somos governados por quadrilhas de bandidos e por uma camarilha de políticos medíocres e incompetentes. O Brasil se tornou uma utopia destes imbecis da esquerda e um laboratório do socialismo Fabiano, ou dos representantes de uma tal “SOCIAL DEMOCRACIA”,a mesma ideologia marxista escrota que destruiu os EUA, a Grécia, Portugal, a Inglaterra de Tony Blair e a Venezuela. Chega de reagir, está na hora de combater! Está na hora de quebrar as pernas do Estado e derrubar este sistema.

Página curtida · 7 de janeiro de 2017 

Anúncios