OPERAÇÃO LAVA JATO

A operação Lava Jato vem sendo manipulada pelos políticos do PSDB e do PMDB desde a segunda fase das operações coordenadas pela Força Tarefa no âmbito das investigações do Ministério Público Federal e da Polícia Federal. Principal personagem do Ministério Público Federal, o Juiz Sérgio Moro vem sendo sistematicamente manipulado pelos figurões da política. O Juiz também é contido pelos partidos políticos envolvidos na Lava Jato e posteriormente é controlado pelos 11 juízes que estão no STF.

O Juiz Sérgio Moro se esbarra principalmente no atual sistema socialista Fabiano e, sobretudo no aparelhamento do Estado, uma obra prima de FHC e do PSDB, que posteriormente foi continuada pelo PT de Lula ao longo destes últimos 22 anos. A Lava Jato iniciou suas operações em 2014 após denúncias de lavagem de dinheiro na Petrobras feitas pelo PSDB em 2009. Um posto de gasolina em Curitiba era usado pela quadrilha para movimentar e lavar o dinheiro desviado da Petrobras.

Foi um ofício de 2009, dos senadores Álvaro Dias (do PSDB, hoje no PV), Agripino Maia (DEM), ACM Júnior (DEM) e Sérgio Guerra (PSDB) que deram início a uma CPI na Petrobras para apurar suspeitas de lavagem de dinheiro na estatal. O pedido de investigações foi feito à Procuradoria Geral da República que posteriormente acionou o Ministério Público Federal de Curitiba para investigar as denúncias.

Em maio de 2015 o PSDB começou a manipular politicamente a operação Lava Jato para seus propósitos representativos. Foi durante este período que Dilma Rousseff deu início a negociações para privatizar aeroportos, distribuidoras, portos e ferrovias para grupos chineses. Na ocasião políticos do PSDB foram contra as negociações e usaram a mídia para atacar o governo do PT sob a alegação de que Dilma estaria negociando patrimônios significativos do Brasil para grupos chineses. Aécio que hoje aprova a venda de aeroportos, terras e estatais para grupos ligados aos Rothschilds, disse na época que Dilma não tinha respaldo político.

O PSDB é o partido socialista Fabiano mantido pelas Fundações Rockefeller, Fundação Ford, pela Open Society de George Soros e pela Casa dos Rothschilds, grupos interessados nos aeroportos, portos, ferrovias, distribuidoras e refinarias da Petrobras, nas terras agrárias, nos minérios e também no aquífero Guarani. Todas as privatizações realizadas no governo de FHC foram gerenciadas por George Soros e posteriormente adquiridas pelos grupos de propriedade dos Rothscilds.

O grupo comprou a Vale, a CSN e mais 36 empresas estatais, além do controle total do setor de telefonia. Vale lembrar que antes de vender a Vale, FHC foi a Londres se encontrar com o Barão Jacob Rothschilds para negociar a venda da Vale. Dilma vinha negociando com grupos estrangeiros que fazem parte do “Movimento Eurasiano”, um movimento mundial que é contrário aos interesses dos globalistas Rothschilds e Rockefellers. Outro golpe contra a Elite globalista foi a constituição do Banco BRICS, formalizada entre Brasil, Rússia, China e Índia, todos representantes do Movimento Eurasiano.

Fraco, corrupto e confuso, o governo de Dilma enfrentava duras críticas da sociedade. Vários escândalos de corrupção ganhavam as principais manchetes dos jornais, a maioria envolvendo seu governo, seus ministros e dezenas de políticos do PT. Ainda se aproveitando da Lava Jato, o PSDB entrou com outra representação na CPI e na Procuradoria Geral da República para investigar Dilma na Petrobras. Este fato se deu em outubro de 2015. Na ocasião, o senador do PSDB Aécio Neves disse que iria derrubar o governo do PT, mesmo que tivesse que “criar uma crise política e uma crise econômica no país”.

Aécio Neves sabia do que estava falando, pois George Soros, que sempre esteve por trás das políticas econômicas do Brasil, indicando ministros e pilotando crises, faria de tudo para gerar uma crise econômica no país. Soros é um mestre no mercado financeiro, um perito em derrubar e sabotar economias, sendo também o principal financiador de FHC e do PSDB. Semanas depois o Brasil entrou em uma recessão jamais vista na história do país. Dilma estava atolada em denúncias de corrupção e o PSDB continuou sua manipulação histérica usando a Lava Jato para investigar políticos do PT e também do PMDB e PP, aliados do PT.

Era uma investigação parcial, onde apenas os inimigos da Elite global estavam sendo atacados. Não era uma investigação imparcial para colocar o Brasil nos eixos e livra-lo do mal da corrupção. Por isto muitas suspeitas se levantaram em relação à Lava Jato, sobretudo, colocaram O excelente Juiz Sergio Moro sob diversos questionamentos. Muita gente perguntava nas redes sociais porque políticos do PSDB não estavam sendo investigados na Lava Jato.

O PSDB foi o principal denunciante que deu origem as investigações da Lava Jato, logo as investigações eram para apurar as denúncias realizadas pelo PSDB e não para investigar o partido e seus políticos. Perceberam?- Desta forma, e desde o início, o PSDB vem usando a Lava Jato para concretizar seus propósitos políticos, tendo por trás as Fundações Rockefeller, Ford, Soros e os Rothschilds, como foi mencionado acima.

FHC chegou a se irritar quando políticos do PSDB surgiram nas investigações da Polícia Federal. Ao ver os nomes de Serra, Alckmin, Aécio Neves, Sérgio Guerra, Aloysio Nunes e até mesmo seu, em depoimento de Nestor Cerveró, que o acusou de orquestrar um desvio de US$ 100 milhões de dólares na Petrobras, FHC disse que as denúncias eram para investigar o PT, o PMDB, o PP e os demais políticos envolvidos com o governo de Dilma Rousseff e não com políticos do PSDB, pois estes eram os autores das denúncias.

A Lava Jato serviu para que o PSDB. conjuntamente com políticos do PMDB, desenvolvesse o processo de impeachment do governo de Dilma Rousseff. Havia vários políticos do PMDB ocupando cargos na Petrobras e todos eles estavam envolvidos em corrupção. Um deles, Sérgio Machado, ex-diretor da Transpetro, negociou e conspirou a derruba do governo de Dilma Rousseff, conforme gravações apreendidas pela PF. Os tucanos manipularam todo o processo o tempo todo, inclusive pressionaram Moro e o STF para prenderem o ex-dirigente da Transpetro..

Em seguida Dilma foi impichimada e o primeiro passo da conspiração havia sido complementado pelos tucanos. A Lava Jato, os políticos do PMDB e os Movimentos de Rua conseguiram mobilizar a população no sentido de legitimar o processo de impeachment e o plano havia dado certo. Dilma sempre esteve ilegal no cargo, ganhou as eleições fraudando e sabotando a contagem dos votos. As investigações para apurar a fraude eleitoral só não foram adiante porque o candidato Aécio Neves, parceiro de Soros, dono da Smartimatic, não quis. Se o tucano exigisse uma investigação na apuração dos votos, esta comprovaria não só a fraude, como revelaria que o sistema eleitoral de George Soros é corrupto. Perceberam?

Posteriormente a petista cometeu uma série de crimes fiscais. O caso de Pasadena foi um crime de responsabilidade administrativa que causou um prejuízo de US$ 1 bilhão de dólares ao país. Seu governo foi um desastre e desde o início Dilma merecia ser retirada do cargo pelo POVO e não por meio de uma conspiração que favorecia o PSDB e a Elite por trás dos tucanos. Em nenhum momento o Brasil e seu povo foram lembrados. Os interesses que haviam por trás eram bem maiores. O impeachment foi um instrumento usado pelo sistema para garantir a permanência do sistema. A safadeza foi tanta que Dilma nem foi penalizada e, portanto continua apta à uma candidatura. Fraudaram até a constituição e o povo esperto meteu rabo entre as pernas.

Com Dilma fora dos “negócios” os russos e chineses não obtiveram sucesso nas propostas de privatizações acordadas e várias negociatas foram canceladas. No entanto já havia alguns contratos assinados por Dilma como os chineses e parte dos acordos foram mantidos. Apesar dos percalços tudo saiu de acordo e como queriam Soros, os Rothschilds, os Ford e os Rockefeller.

Foi também neste período, em junho de 2016, que o Juiz Sérgio Moro e o Procurador Deltan Dallagnol foram homenageados pela Maçonaria com a Comenda Grã Cruz. A tentativa partiu do PSDB que sempre usou a Maçonaria para articular e também para orquestrar ações políticas com determinados membros que fazem parte da Maçonaria.

Há uma elite corrupta que se aproveita das normas rígidas da Maçonaria com relação aos “segredos”, e usam suas estruturas para corromper e chantagear políticos, empresários e juízes. Também para articular suas ações políticas e fazer acordos escusos. Todos os membros e todos os políticos do PSDB fazem parte da Maçonaria. Há também Juízes do Supremo, como Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio de Mello, Édson Fachin, Celso de Mello, Luiz Barroso, Dias Toffoli, além de empresários, funcionários do governo, prefeitos, governadores e etc..

A Maçonaria é usada como um clube da Organização Criminosa, onde seus os principais líderes usam suas reuniões para se aproximarem de determinados alvos e posteriormente agencia-los e força-los a seguir as ordens das quadrilhas. Com Sérgio Moro por perto e mais integrado a Maçonaria, os tucanos poderiam facilmente controla-lo e vigia-lo mais de perto. Também poderiam estrategicamente pressiona-lo, logicamente usando outros membros que tivessem vínculo com políticos, desembargadores, Delegados, Procuradores e juízes.

Sérgio Moro foi se tornando um fantoche dos globalistas, um fantoche de Soros, dos Rothschilds, de Peter Bell da Fundação Ford e dos Rockefeller. Lula não foi preso ainda porque é nas reuniões da Maçonaria que os donos do Brasil decidem os rumos do país. Assim como Barack Obama foi um “objeto” desta Elite satânica, Moro se tornou apenas mais uma peça do xadrez que eles movimentam de acordo com seus propósitos.

Os tucanos e a Elite do Diabo sabem que o sistema judicial do Brasil foi edificado para não funcionar, palavras do próprio Procurador Daltan Dallagnol e do Juiz Sérgio Moro. Sabem que o STF e as demais Cortes estão aparelhadas pelas indicações políticas feitas pelo PSDB, PMDB e pelo PT. Os tucanos sabem também que a impunidade é um prato que se come quente e que nenhum político ou empresário envolvido na Lava Jato será condenado.

A Lava Jato se tornou uma peça teatral sob comando de FHC e dos tucanos, com a participação especial de Temer, Lula, Gilmar Mendes, Renan Calheiros, Romero Jucá, Sarney, Marco Aurélio de Mello, Édson Fachin, Dias Toffoli e Cia. Os objetivos da Elite pela permanência da Lava Jato sempre foram crescendo à medida que se exigiam novas orquestrações políticas e novos golpes na Constituição.

Atualmente a Lava Jato vem sendo usada pra desviar o foco da sociedade para medidas e falcatruas consideradas estratégicas da Elite como, a venda de empresas estatais, a Reforma Política, a Reforma Trabalhista, a Reforma na Previdência, a liberação da Amazônia para exploração de grupos estrangeiros, a venda de terras, aeroportos, portos e ferrovias brasileiras e também apara a provação das regras para as eleições em 2018.

Os Rothschilds, são donos da Samarco e das mineradoras mais poderosas do mundo como a Vale, a De BEERS, a N.M. Rothschild, e a Anglo American. Exploram minas no Brasil, Europa, EUA, Coreia do Norte, China, Japão, Austrália, Inglaterra, Itália e no Canadá. Movimentam trilhões de dólares todos os anos. Só no Brasil, o clã contrabandeia mais de R$ 900 bilhões por ano em diamantes, ouro, urânio, carvão e etc.

A Imprensa divulgou que a Lava jato e o Juiz Sérgio Moro sofrem um grande desgaste neste momento. Logicamente em razão dos últimos resultados apresentados pela Lava Jato e pela crescente impunidade patrocinada pelo STF. Lula chegou a dizer que “os canalhas da Lava Jato” não encontraram nenhuma prova que pudesse condena-lo. Rindo e debochando, o petista ladrão disse que em 2018 irá dar uma resposta nas urnas.

Meses atrás o Juiz Sérgio Moro e a Força Tarefa pediram ajuda do povo para a aprovação das 10 medidas que estavam no Congresso Nacional e que tinham por objetivo, a mudança na atual legislação civil penal. Em diversas ocasiões Moro e a Força Tarefa gravaram vídeos convocando o povo para ir às ruas defender a Lava Jato. Por sua vez o povo não foi ás ruas em nenhuma destas convocações e sequer moveu uma palha para apoiar a Lava Jato. Todos os apoios à Lava Jato se resumiram à “posts” idiotas nas Redes Sociais.

Moro sabe que não tem Poder para combater o sistema e sabe também que está sendo usado. No entanto faz seu trabalho da melhor maneira possível. Logicamente cumprindo com os seus deveres de Juiz, ao passo que de antemão, tenta sem sucesso, sensibilizar a sociedade corrupta e doutrinada para lutar, mesmo sabendo que há 190 milhões de brasileiros sem a menor capacidade de mobilização e de reação.

A lava Jato foi desde o inicio um “plano” do PSDB para atingir seus propósitos políticos. Desde o início a Força Tarefa e o Juiz Sérgio Moro foram manipulados, controlados e usados de modo sórdido por FHC, Aécio Neves, Gilmar Mendes, Temer, Teori Zavascki, Édson Fachin, Ricardo Lewandoswski, Sarney e Cia. Lula não será preso e Lula sabe disso. Lula até se diverte esculhambando com a Lava Jato, com a cara do povo trouxa e com o Juiz Sérgio Moro. Só os idiotas e alienados não percebem isso.

O PT e o PSDB mantiveram vários encontros nestes últimos meses e certamente Lula foi informado de que não será preso. Também informaram à Lula e que a mídia continuaria sendo manipulada e direcionada para ataca-lo. Logicamente para continuar desviando o foco da burralhada. Portanto, enquanto a mídia da esquerda Fabiana propositalmente não tira Lula e o PT das manchetes e põe a Lava Jato em destaque, o Brasil segue sendo depenado, vilipendiado, vendido e sacaneado pela elite do PSDB, PMDB, por FHC, por Temer, por Lula e Cia.

 

Anúncios