galeria URGENTE: Em instantes, emenda que extingue estatal será votada em SP

 

Emenda apresentada pelo vereador Fernando Holiday (MBL/DEM) em parceria com outros vereadores será votada em instantes na Câmara de São Paulo. A proposta é de que a PRODAM, estatal que serve de cabide de empregos, seja extinta em contrapartida a criação da SP Negócios, nova estatal proposta por João Doria.

Minutos atrás, o vereador Fernando Holiday surpreendeu ao votar com a oposição contra a criação da estatal da gestão tucana.

26 DE ABRIL DE 2017

E MAIS…

PCdoB perde no STF: Toffoli rejeita suspender votação da reforma trabalhista na Câmara

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta quarta (26) autorizar a continuidade da tramitação na Câmara da proposta que altera a legislação trabalhista no país. As informações são do G1.

Nesta quarta, os deputados deram início à sessão destinada à votação do projeto. Em uma liminar (decisão provisória), Toffoli negou pedidos de deputados do PCdoB para suspender a tramitação do projeto até uma decisão do plenário do STF sobre o caso. Na ação, os parlamentares comunistas argumentavam que a reforma não poderia ser votada antes de três medidas provisórias ainda pendentes na pauta.

Críticos da reforma, os deputados nem sequer discutiram o teor da proposta – somente disseram que as MPs já trancam a pauta da casa e não poderiam ser preteridas. A ação no STF ainda pode continuar tramitando para uma decisão de mérito (definitiva), sem data para ser julgada pelos 11 ministros.

  • Estudantes esmagam argumentos de professores de extrema-esquerda de colégio de elite em SP

    Uma série de escolas privadas de São Paulo cancelou as aulas de sexta (28) por causa da adesão de professores ao chamado de greve geral. Um grupo de 14 alunos do colégio Santa Cruz, tradicional instituição da zona oeste de São Paulo, divulgou carta defendendo a reforma da Previdência e desmascarando os argumentos dos doutrinadores. As informações são da Folha.

    A carta é endereçada aos professores da escola, que, ao expor a adesão à paralisação, haviam divulgado texto com as típicas narrativas petistas contra as reformas do governo Michel Temer. A carta dos alunos (que refutam todas as narrativas dos professores) foi divulgada pelas redes sociais. Nela, os estudantes dizem reconhecer “o direito à greve e à livre manifestação de ideias”, mas questionam o posicionamento contra a reforma.

    Os professores do Santa Cruz, em seu texto, haviam emitido a narrativa dizendo que as medidas propostas, citando sobretudo a reforma trabalhista, podem “acentuar sistemas mais já excludentes”. Na resposta dos estudantes, eles dizem que “defender políticas públicas pautadas em ideais de ‘justiça’ e ‘defesa dos mais pobres’ é meio caminho andado para a irresponsabilidade fiscal.”

  • Unicamp suspende por dois semestres estudante de extrema-esquerda que interrompeu aula de professor durante greve

    A Unicamp suspendeu por dois semestres, o aluno de extrema-esquerda que interrompeu a aula de um professor do Instituto de Matemática, durante a greve dos estudantes e a invasão da reitoria no dia 21 de junho de 2016. Na ocasião, o rapaz entrou autoritariamente na sala de aula e apagou os exercícios que o docente escrevia na lousa. A punição ainda cabe recurso e pode ser revertida para serviços comunitários dentro da instituição. A informação foi confirmada pela Unicamp nesta terça-feira (25). A matéria é do G1.

    Um vídeo que circulou na internet mostrou a ação do aluno, que, junto com outros dois jovens, tentou impedir o professor Sergei Popov de continuar a aula durante o período de paralisação dos estudantes na Unicamp. Eles não apenas interromperam a atividade, eles também entraram na sala com instrumentos de percussão e fizeram uma batucada. Em agosto, a Justiça determinou a retirada das imagens de todas as redes sociais.

    A Unicamp abriu uma sindicância para apurar a ação do estudante. Logo após a realização de audiências, a decisão foi pela suspensão do aluno por dois semestres. Antes de deixar o cargo para o sucessor Marcelo Knobel, o reitor José Tadeu Jorge acatou a sugestão da comissão e manteve a determinação. A punição foi publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo na última quarta (19).

  • Lista de 87 testemunhas com nome repetido mostra que Lula debocha da justiça e só quer atrasar processo

    Lula resolveu encenar o papel de “enfezadinho” e disse que não aceita a “barganha” do juiz Sergio Moro. Afirmou também que, se for preciso, “muda para Curitiba” para acompanhar o depoimento de suas 86 testemunhas de defesa na Lava Jato e garantir que todas sejam ouvidas. As informações são da Folha.

    Vale lembrar que Lula está blefando, pois Moro não fez barganha. Apenas definiu as condições opcionais para o ex-presidente.

    Ocorre que na semana passada, Moro deu um baile tático em Lula e determinou que bolivariano acompanhe todas as oitivas das testemunhas apresentadas por sua defesa em uma das ações da Lava Jato de que é alvo. Nesta terça, no entanto, Moro indicou a possibilidade de rever essa exigência caso o número de testemunhas seja reduzido.

  • Fábio Hori Yonamine, outro executivo da OAS, confirma triplex. Era para “deixar mais bonito para o presidente Lula”

    O executivo Fábio Hori Yonamine, ex-diretor financeiro e ex-presidente da OAS, contou nesta quarta (26) que a empreiteira promoveu a reforma e a decoração do triplex do Condomínio Solaris, no Guarujá, ‘para tornar (o imóvel) mais bonito para o ex-presidente Lula e dona Marisa’. As informações são da Jovem Pan.

    Em depoimento a Moro, Yonamine contou detalhes das obras que modificaram completamente a unidade 164-A do edifício à beira-mar. Os investigadores sustentam que o imóvel de fato pertence ao petista, mas ele sempre nega. Neste processo, Lula é réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

    A Procuradoria da República sustenta que o ex-presidente recebeu propinas da OAS no montante de R$ 3,7 milhões – parte desse valor investido pela empreiteira na grande reforma do triplex.

  • URGENTE: Paulo Gordilho, engenheiro da OAS, confirma triplex de Lula

    Paulo Gordilho, engenheiro da OAS que atuou na reforma do triplex do Guarujá, confirmou ao juiz Sérgio Moro algo que todos já sabíamos: que o imóvel estava “reservado ao ex-presidente Lula”. As informações são do Antagonista.

    “Todo mundo sabia que esse apartamento estava reservado ao ex-presidente Lula. Soubemos disso numa reunião de diretoria da OAS.”

    Ele até esclareceu várias mensagens trocadas com Léo Pinheiro. Por exemplo, quando falam de “projeto da cozinha do chefe”, segundo o engenheiro, trata-se do “projeto de Atibaia”.

  • Temer diz que irá cortar o ponto de servidores que aderirem ao CarnaLula nesta sexta-feira

    O presidente Michel Temer decidiu que cortará o salário dos servidores que participarem da greve geral convocada para esta sexta-feira. A decisão foi tomada em reunião com os ministros, na segunda-feira , de onde saiu o anúncio de que os detentores de mandatos seriam exonerados para votar a reforma da Previdência na Câmara. Segundo relatos dos presentes, a ideia ventilada foi reforçada pelo ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, e em seguida por Temer, que endossou a decisão.

    A ideia do presidente é manter ao máximo o tom de normalidade no dia da greve. Ele ficará em Brasília e trabalhará normalmente. O governo avalia que a mobilização não sairá das capitais e espera que não seja transmitida a imagem de “grande greve nacional”. Haverá um forte esquema de segurança na Esplanada dos Ministérios, que ficará fechada, e que vai incluir revista de bolsas. A segurança ficará a cargo da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal.

    Em outubro do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) validou o corte de ponto de servidores que aderissem a paralisações. Há um decreto que permite o corte de ponto de servidores que aderirem a greves, mas isso nunca ocorreu nos governos petistas de Lula e Dilma.

  • Prefeitura de São Paulo faz parceria para aplicativos transportarem servidores para o trabalho no dia do CarnaLula

    O prefeito de São Paulo, João Doria, fez um acordo com o Uber e a 99 para que as duas empresas transportem de graça, na sexta (28), servidores que decidirem não entrar em greve. As duas empresas vão fazer uma doação à Prefeitura. Ou seja, vão reembolsar os motoristas credenciados que transportarem os funcionários sem cobrar nada da administração.

    O prefeito já afirmou que cortará o ponto dos empregados que não aparecerem para trabalhar. A cidade de São Paulo tem cerca de 129 mil funcionários públicos trabalhando na administração direta.

    Em sua página do Facebook, o prefeito manda um recado para os servidores, de quem diz ter orgulho: “Minha mensagem é para você que é servidor, para você que gosta do que faz, que é apaixonado pelo serviço público. Para você que é servidor, como eu, sexta-feira, dia 28, é dia de trabalho. Só quem não quer trabalhar é que vai fazer greve. Porque mesmo quem deseja manifestar-se, faz isso em horário fora de expediente, faz isso no sábado, faz isso no domingo, faz isso de noite, faz isso na hora do almoço. Não faz durante o trabalho”, afirma o prefeito.

  • URGENTE: Após pressão das ruas e redes sociais, PEC do fim do foro é aprovada em primeiro turno no Senado

    Conforme o site O Antagonista, o plenário do Senado aprovou, em primeiro turno, a PEC do fim do foro privilegiado com 75 votos a favor e uma abstenção. O segundo turno da votação ocorrerá após três sessões deliberativas.

    Foi mais rápido do que se imaginou.

URGENTE: Em instantes, emenda que extingue estatal será votada em SP

Anúncios