galeria O ANTAGONISTA

 OANTAGONISTA

25 de Setembro de 2016

“Sem a PEC do teto de gastos, viveremos colapso fiscal”

Deputado Darcísio Perondi, relator da PEC 241, afirma que Dilma deveria ser presa por crime fiscal
Márcio Juliboni
O deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) não tem dúvidas sobre a urgência de se aprovar a PEC 241, que cria um teto de gastos públicos. Sem esse freio, ele prevê insolvência da União, volta da hiperinflação e corrida aos bancos.
Relator da matéria na Câmara, o parlamentar afirma que o consenso sobre o assunto na base aliada é cada vez maior, o que o leva a confiar na sua aprovação. Olhando em retrospectiva, ele culpa Dilma e sua equipe pelo estado de penúria em que o país se encontra: “Deveriam estar presos”, afirma. Leia, a seguir, os principais trechos da conversa:
O Financista: O mercado teme que, para aprovar a PEC, o governo faça tantas concessões que a proposta não sirva mais a seus propósitos originais. Há esse risco?


Darcísio Perondi:
A PEC será aprovada, porque o povo já está sofrendo. A crise é verdadeira e é sentida em todo o país. Então, há essa consciência na base aliada de que é preciso afastar o colapso fiscal.
O Financista: É possível, realmente, aprovar a PEC de gastos neste ano?
Perondi: Sim. A cada dia, cresce o apoio dos partidos da base aliada. É cada vez maior a consciência de que ou se implanta um novo regime fiscal no país ou viveremos um colapso das contas públicas.
O Financista: Qual é, efetivamente, o peso da PEC para o ajuste?
Perondi: As contas públicas são um paciente em estado grave e que permanecerá muito tempo na UTI. É por isso que a PEC prevê um longo período de vigência do teto. Em quatro ou cinco anos, é possível gerar algum superávit primário. Mas a dívida bruta é tão explosiva que continuará crescendo por mais tempo. Talvez, ela se estabilize e comece a cair a partir do oitavo ano. Agora, depois da PEC, são necessárias outras medidas. A PEC 241 não sobrevive sem a reforma da Previdência. Sem isso, há um sério risco de cairmos na insolvência, hiperinflação e corrida aos bancos.
O Financista: Como conciliar o teto de gastos com despesas obrigatórias, como saúde e educação?
Perondi: Só um governo corajoso apresenta um projeto desses. É preciso lembrar que os gastos com a educação têm um piso constitucional. Estamos estudando o assunto. É preciso lembrar, também, que a desvinculação de receitas está assegurada. Tudo isso vai estimular os parlamentares a trabalhar com um orçamento real. O Congresso sairá mais empoderado com a PEC 241.
O Financista: Como o senhor definiria a gestão petista, no campo fiscal?
Perondi: O PT é o responsável pela atual penúria. Nos últimos sete anos, os gastos subiram 50%, bem acima da arrecadação. O crime fiscal foi muito pior que a corrupção praticada pelo governo anterior. Barbosa, Dilma, Mantega, Augustin, todos deveriam estar presos pelo que fizeram com as contas nacionais. Não estou falando nem de corrupção.

O MELHOR DA SEMANA

O recado de Moro a Lula e seus acólitos

Sérgio Moro, como não cansamos de repetir, está sempre uma jogada à frente, pelo menos. A defesa de Lula, o PT e os jornalistas ingênuos, partidários ou mercenários têm o direito de fazer barulho porque, como escreveu o juiz no seu despacho… [leia mais]
Moro acusa Lula e lamenta por Marisa
Lula vira réu na Lava Jato 
Moro defende Deltan e equipe da Lava Jato
Tamanho (da propina) não é documento
Moro: “A denúncia insere-se no esquema criminoso que vitimou a Petrobras”
Testemunha-chave, vendedor da Kitchens complica Lula

Moro solta Mantega

Sérgio Moro acaba de expedir o alvará de soltura do ex-ministro Guido Mantega. Em seu despacho, o juiz alegou que a Lava Jato não sabia que Mantega acompanhava a esposa em cirurgia. “Sem embargo da gravidade dos fatos…” [leia mais]
Moro revogou “o momento” da prisão
Questão de tempo
Ministro do STF critica prisão de Mantega
Arquivo-X bloqueia 10 milhões de Mantega
Mantega, o elo

Mantega sabia da prisão?

Propina de Eike na Offshore de Feira

Guido Mantega pediu 5 milhões de dólares em propina a Eike Batista, diz Diego Escosteguy. 2 milhões de dólares foram depositados na conta offshore de João Santana. Foi assim que Dilma Rousseff se elegeu.
Eles todos nos acham 100% idiotas
Eike imita Lula
Sob coordenação de João Santana 
Eike se sentiu “compelido a doar”
Eike na Lava Jato

O elo entre Eike e Mantega é Lula

Dilma recebeu propina de Eike

Eike Batista pagou propina para a campanha de Dilma Rousseff. Foi o que ele disse em seu depoimento à Lava Jato, reproduzido pela Veja: EIKE: Muito obrigado, obrigado pela atenção de vocês, o que eu vim esclarecer aqui e na verdade, não quero… [leia mais]
Dilma se elegeu em 2010 com propina de Eike
Dívida de campanha?

Exclusivo: a delação internacional de Cunha

O Antagonista soube que, além do MPF, Eduardo Cunha tem mantido contato com representantes do Departamento de Justiça americano. O peemedebista teria usado bancos nos EUA para várias operações.
Lava Jato para exportação
Cunha nas mãos de Moro

 

MOMENTO ANTAGONISTA

Reveja os vídeos gravados por Claudio Dantas durante a semana:
Deputados tramam autoanistia
Lula frente a frente com Moro
TCU x Marco Aurélio Mello
Eike vai escapar? E Mantega?
A cabeça de Sérgio Moro

Anúncios