galeria O ANTAGONISTA

 OANTAGONISTA

5 de Setembro de 2016

A propaganda governamental é o mensalão da imprensa

Por Mario Sabino
Hoje, finalmente, começou a ser desbaratado o esquema que PT e PMDB operavam nos fundos de pensão de Petrobras, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Correios. Uma ninharia estimada em 50 bilhões de reais. Enquanto a massinha de manobra da esquerda brasileira barbariza nas ruas contra o “golpe” do impeachment, a PF e a Justiça golpeiam a esquerda brasileira e os seus acólitos dentro dos limites da Constituição.
Aparelhados pela companheirada, os fundos de pensão dessas estatais igualmente aparelhadas entraram como sócios de negócios feitos sob medida para perder dinheiro dos trabalhadores e enriquecer a malandragem campeã nacional. O esquema esteve à nossa frente durante pelo menos dez anos, mas contou com o silêncio cúmplice da maioria das empresas jornalísticas, receosas de perder a verba publicitária controlada pelos criminosos.
Tal é o meu ponto: o escândalo dos fundos de pensão deveria levar à extirpação completa da excrescência chamada propaganda governamental. A pretexto de divulgar as suas realizações, ministérios, secretarias e estatais — federais, estaduais ou municipais — gastam bilhões de reais a cada ano para comprar consciências, promover políticos e partidos e encher as burras de agências de publicidade e comunicação que superfaturam contratos e repassam parte da grana para os encarregados de liberar a verba. Não há um país civilizado que desperdice tamanho volume de recursos dessa maneira.
A proibição de propaganda oficial em todos os níveis, além de economizar recursos e diminuir o grau de corrupção, fortaleceria a liberdade de imprensa. Sem a droga financeira administrada pelos governos, jornais e emissoras ficariam mais pobres, porém mais limpinhos. Mais limpinhos, não fariam vista grossa para um escândalo como o dos fundos de pensão das estatais. Ah, mas o Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal ficariam em desvantagem na competição com outros bancos que vivem anunciando e patrocinando. E quem precisa do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal? Vamos privatizá-los, assim como foram privatizados ou simplesmente extintos os bancos estaduais. Adiante: quem precisa da estatal Petrobras? Quem precisa da estatal Correios? Gente honesta não precisa.
A propaganda governamental é o mensalão da imprensa. É imperioso acabar com ele.

 

Reunião de Pauta – 05.09.2016 – Do Petrolão ao Fundão 

[Acesse aqui o vídeo]

 

ANÚNCIO
Quer tirar proveito do melhor momento do mercado imobiliário? Fizemos um especial exclusivo para você lucrar nesse setor.

 

O MELHOR DO DIA

Destruição de provas do triplex

Além de subornar parlamentares para não ser convocado à CPI da Petrobras, Léo Pinheiro também foi acusado de destruir emails que poderiam ajudar na investigação do triplex de Lula… [leia mais]
“No mundo das sombras”

A obstrução de Léo Pinheiro

No despacho em que determina a prisão preventiva de Léo Pinheiro, obtido por O Antagonista, Sérgio Moro alega que o empreiteiro tentou subornar integrantes da CPI da Petrobras… [veja mais]
Léo Pinheiro, um “criminoso habitual”

Um novo acordo


Rodrigo Janot
rasgou o acordo com Léo Pinheiro, da OAS. O acordo em que ele delatava Lula. Preso pelo juiz Sergio Moro, espera-se que ele possa retomar imediatamente as conversas com a Lava Jato.

Rombo de 50 bilhões

Embora a Operação Greenfield se concentre em desvios de R$ 8 bilhões, os investigadores estimam que o rombo total nos fundos Previ, Petros, Funcef e Postalis chegue a R$ 50 bilhões. R$ 50 BILHÕES. É outro petrolão.
Um recorde
Os fundos da Greenfield
“É a ponta do novelo”

Greenfield apreende jatinhos, carros e mansões

A Operação Greenfield sequestrou 90 imóveis, 139 automóveis, uma aeronave, além de valores em contas bancárias, cotas e ações de empresas, títulos mobiliários e outros bens e ativos de 103 pessoas físicas e jurídicas – até o limite de R$ 8 bilhões.
A mágica dos fundos de pensão

Chegaram no Sérgio Rosa


Sérgio Rosa
, ex-presidente da Previ, foi conduzido coercitivamente para prestar depoimento na Polícia Federal. Rosa teve de explicar a sociedade da Previ com a OAS na Invepar e os R$ 600 mil que recebeu de Léo Pinheiro por ‘consultorias’.

Irmãos Batista devem se afastar da JBS

O juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, decretou sete medidas cautelares a 40 investigados na Operação Greenfield, segundo o Estadão. A ordem judicial mais contundente impõe aos alvos… [leia mais]
Irmãos Batista na PF

PF na casa de Barusco

O Antagonista apurou que a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão na casa do delator Pedro Barusco, que foi gerente de serviços da Petrobras e diretor de operações da Sete Brasil… [leia mais]
Buscas na Rio Bravo

Uma hora de propina com Odebrecht

Não restava dúvida a respeito, mas a Lava Jato reuniu provas contundentes de que Marcelo Odebrecht controlava as “Operações Estruturadas” da empreiteira — na prática, o departamento de propina… [veja mais]

O time do 1%

A PF deu números finais à dinheirama que o PMDB levou do consórcio que constrói a Usina de Belo Monte: 159 milhões de reais — sempre a título de doações legais de campanha, segundo a Folha… [leia mais]


Índio na linha

O Ministério Público Federal recomendou que a Vale suspenda a ampliação de um trecho da Estrada de Ferro Carajás. A obra deve ficar parada até que… [leia mais]
Sensível diferença
Manual de sobrevivência
Guardando a tesoura
Quem tem medo de Michel Temer

Anúncios