BRAZIL MADE IN CHINA

chineses

http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/08/1673297-triunfo-vende-duas-hidreletricas-por-r-175-bilhao-a-china-three-gorges.shtml

 

CHINA1

Brasília, 19/05/2015 – Os governos do Brasil e da China assinaram acordo para o sensoriamento remoto, telecomunicações e tecnologia da informação para a defesa e proteção da Amazônia. O ato foi firmado hoje (19), no Palácio do Planalto, pelos ministros Jaques Wagner (Defesa), e Xu Dazhe (Ciência, Tecnologia e Indústria de Defesa). Ele representa um dos 35 projetos da pauta da reunião entre a presidenta Dilma Rousseff e o primeiro ministro chinês Li Keqiang.

O acordo se dará no âmbito do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam). A partir de agora, técnicos brasileiros e chineses iniciam o grupo de trabalho para desenvolver e executar o projeto. A formalização ocorrida hoje é desdobramento das bases que foram acertadas, no ano passado, durante a visita oficial do presidente da República Popular da China, Xi Jinping, ao Brasil.

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Brasil e China vão constituir grupo de trabalho para discutir projetos de sensoriamento remoto, telecomunicações e tecnologia da informação

Brasil e China vão constituir grupo de trabalho para discutir projetos de sensoriamento remoto, telecomunicações e tecnologia da informação

Os detalhes para esse entendimento foram alinhados ontem (18), quando os ministros Jaques Wagner e Xu Dazhe tiveram uma reunião de trabalho no gabinete da Defesa, em Brasília. Além do projeto para a Amazônia, os governos brasileiro e chinês firmaram protocolos e acordos em diversos setores, como por exemplo, energia eólica, bancário, transporte ferroviário, dentre outros.

“Na reunião de hoje, decidimos também desenvolver conjuntamente um satélite de sensoriamento remoto”, disse a presidenta Dilma.

Antes da assinatura dos atos, Dilma e o primeiro ministro Li Keqiang assistiram ao lançamento das obras da linha de transmissão da Usina Hidrelétrica Belo Monte. O linhão vai levar energia do Pará para a região Sudeste, investimento do grupo chinês State Grid e das brasileiras Eletrobrás e Furnas.

Viagem oficial

O primeiro ministro chinês chegou à Praça dos Três no meio da manhã sendo recebido com honras militares. Depois, subiu a rampa do Planalto, onde foi recepcionado pela presidenta Dilma e se encaminhou para o registro fotográfico. Ato contínuo, Dilma o apresentou aos ministros brasileiros. Na sequência, Li Keqiang fez o mesmo com seus auxiliares que estavam perfilados, mais adiante, no salão nobre do Palácio. Concluída essa etapa, todos se deslocaram para a reunião bilateral.

No começo da tarde, ainda no Palácio do Planalto, ocorreram as cerimônias de assinatura dos acordos. O primeiro deles recebeu a firma dos ministros Jaques Wagner e Xu Dazhe. A partir de agora, será constituído o Grupo de Trabalho Gestor (GTG) que terá a tarefa de estruturar a cooperação entre os dois países. Esse GTG será co-presidido pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam) e pela Administração Estatal de Ciência, Tecnologia e Indústria Nacional de Defesa (SASTIND).

Neste grupo serão discutidos e abordados projetos da área de sensoriamento remoto, telecomunicações e tecnologia da informação. As reuniões serão definidas por comum acordo, alternando a sede entre os países. Os objetivos básicos são cooperar e compartilhar dados de satélites ambientais, meteorológicos e de observação da terra. Bem como trocar conhecimento e experiência nas áreas de tecnologia da informação, telecomunicação e sensoriamento remoto.

Está previsto, também, o intercâmbio de dados e conhecimentos em meteorologia, climatologia, hidrometeorologia e mudanças climáticas; cooperação nas aplicações envolvendo o uso de telecomunicações ponto a ponto e via satélite; promoção da capacitação de recursos humanos nas áreas tecnológicas relacionadas; e a cooperação no mapeamento cartográfico e temático.

Após a cerimônia no Planalto, Dilma e Li Keqiang participaram de almoço no Ministério das Relações Exteriores.

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
61 3312-4071

_____________________________

CARLY FIORINA

O Brasil já está escravizado às potências nucleares dos BRICS. Escutem ou leiam com atenção o que diz esta senhora – o avesso de DILMA -, uma candidata ‘peso-pesado’, pelo Partido Republicano, à Presidência dos EUA.

Após ouvi-la você entenderá a situação em que ficou o BRASIL depois que assumiu atabalhoadamente os compromissos financeiros no “BRICS”. Se o Brasil, depois das promessas que fez e que jamais poderá cumprir, sem causar mortes de pessoas em pobreza extrema, não sair fora desse grupo de espertos chamado BRICS,  será obrigado a emprestar o dinheiro que é dos brasileiros famélicos – em especial criancinhas – a ditaduras comunistas na bancarrota ou esfaceladas economicamente – como os satélites da Rússia e da China, e/ou que deles dependam militar ou economicamente. Esses como potências nucleares lideram, queiram ou não DILMA e os obtusos petistas, o Grupo, e nos forçarão a dividir com eles “os empréstimos micados em andamento”, dos quais muitos de difícil recebimento, como os devidos pela Venezuela ou Coréia do Norte, fora o que a Rússia projeta injetar na Síria, contando com a nossa participação.

Nosso país vai levar calotes gigantescos e não vai ter de volta os bilhões de dólares que já aportou e ainda irá aportar no tal Banco dos BRICS, espertamente criado por indução dos chineses e russos, para nos escravizar sem que nada possamos fazer diante do poder bélico daquelas duas potências atômicas.

Os desvarios de esquerdistas e comunistas totalmente obtusos e estúpidos,  que compõem o Governo petistas de DILMA e por esta são liderados, levarão o BRASIL a ser totalmente dilapidado pelos chineses e russos e, quando este se der conta já virou uma Venezuela ou Cuba, matando, aos poucos, o nosso povo pela fome.

O interesse de China e Rússia é apenas a hegemonia na América latina, em função das riquezas naturais não existentes em seus países, mas especialmente fartas no Brasil. Mas o retardamento mental comum aos fanáticos de esquerda e comunistas latinos, não permite que eles consigam enxergar e alcançar esta realidade que “grita diante de seus olhos míopes e de antolhos.

Ouçam o que diz essa candidata republicana à Presidência dos EUA – uma ‘pedra no sapato de ‘Donald Trump’ – e entendam o porquê DILMA não quer ouvir, e se pudesse não deixaria os brasileiros tomarem conhecimento do que diz. Torçamos para que esta senhora, Carly Fiorina, do Partido Republicano, com um extenso currículo profissional e político que forma um riquíssimo background, inclusive como especialista em Defesa e Política Externa, e que já foi, entre outros,  presidente do Conselho Assessor Externo da CIA, tenha sucesso. O Povo Brasileiro a agradecerá.

https://liciomaciel.wordpress.com/2015/11/29/carly-fiorina/

 

LEIA TAMBÉM :  O POVO EM INTERVENÇÃO

Anúncios